Comunidade Evangélica de Joinville - UP



Princesa Isabel , 508 Centro
CEP 89201-970 - Joinville /SC - Brasil
cej@ielusc.br
ID: 2382

Lucas Cranach e a Reforma Luterana

26/09/2010


Sabemos que nosso reformador Martim Luther não realizou sozinho as transformações que se iniciaram através de sua pena. Era uma época onde os clamores por mudanças vinham crescendo. As pessoas proclamavam ideais e ideias para que a estrutura da igreja e da sociedade pudesse ser transformada. É necessário, portanto, afastar o pensamento ingênuo de que Lutero tenha “descoberto a roda”. Por outro lado, sem sua atuação decisiva a Reforma não teria sido levada a cabo. Nessa empreitada, porém, contou com inúmeras pessoas que, atingidas pela pregação de Lutero que apontava a volta à Bíblia como fonte de autoridade na Igreja, se engajaram nessa luta. Uma destas pessoas foi o pintor Lucas Cranach. Nós, podemos nos perguntar: mas o que um simples pintor poderia fazer para auxiliar esse movimento reformatório? Muito. Como gênio que era, Lucas Cranach (provinha da cidade de Kronach, daí seu sobrenome “Kronach”, aquele que vem de Kronach) soube como nenhum outro colocar em imagens aquilo que Lutero escrevia em seus textos. Se as armas de Lutero eram a Bíblia, a língua do povo, a descoberta da impressão a partir de Gutemberg e a proteção do Príncipe eleitor da Saxônia Frederico, o sábio, Lucas Cranach lhe concedeu uma arma que tanto a igreja como a sociedade da época já utilizavam, mas não de forma tão organizada e inovadora como fez o pintor: a propaganda! Lucas Cranach, que se tornou um ícone da Reforma, teve seu primeiro aprendizado na arte da pintura com seu próprio pai. Depois foi para Viena onde aprofundou seus estudos de onde provém seus primeiros trabalhos. Ali também entrou em contato com as ideias dos humanistas que pretendiam transformar a sociedade através de uma educação livre das amarras da igreja. Sua vida e sua fama, entretanto, acontecem na cidade de Wittenberg, quando, a chamado do Príncipe Frederico é convidado para ser o pintor oficial do palácio a partir de 1505. Assim, se torna amigo de Lutero e Melanchton e, como ninguém, absorve o pensamento reformatório com alma e coração, o que fica claro quando nos deparamos com suas pinturas. Suas características que marcaram e auxiliaram a reforma foram: seu realismo extremo, a inovação de colocar em suas pinturas, relacionadas a igreja e aos ideais reformatórios os próprios protagonistas da Reforma. Vamos tomar como exemplo a pintura do altar na Igreja de Wittenberg: Cranach pinta os sacramentos e o poder das chaves, 3 pinturas que estão sobre o fundamento, que é a pintura que tem Cristo. No Batismo, Cranach utiliza Melanchton - que não era pastor - batizando, significando o sacerdócio de todos os crentes; na distribuição da santa Ceia, a imagem contém Lutero e outras pessoas da cidade de Wittenberg em uma verdadeira refeição juntamente com Cristo; na outra imagem, as chaves são dadas às pessoas da comunidade de Wittenberg não por conta de Pedro ou da igreja católica romana, mas sim por causa de Cristo; e o que fundamenta os Sacramentos e as ações da igreja é a imagem do Cristo crucificado e ressurreto, que é objeto da pregação de Lutero entre o púlpito e a comunidade de Wittenberg. O que chama a atenção nestas telas é que as pessoas da comunidade se reconheciam nestas pinturas. Estavam lá! Tudo isso se encontra no Altar da Igreja da cidade. As pessoas, pois, que ainda não tinham acesso à leitura, escutavam as pregações e os debates mas, principalmente, viam a reforma acontecendo nestas pinturas e também nas pinturas que acompanhavam os escritos reformatórios. Assim, mesmo bem distante da nossa época, a fi gura da propaganda fez diferença na época de Lutero, levando a palavra de Deus às pessoas que não sabiam ler e que, de outra forma, não poderiam ter participado do movimento. Ao lado, um exemplo de uma de suas pinturas que hoje se encontra na Igreja de Weimar. Observem as figuras de Lutero apontando para a centralidade da Palavra e Cristo derramando seu sangue salvador sobre o próprio Lucas Cranach. Só Cristo salva e não o dinheiro da igreja. Graças a Deus que nos dá pessoas com diversidade de dons para que sua Palavra chegue onde lhe aprouver. Que Deus guarde cada um de vocês, como Ele sempre tem feito, na palma de sua mão. Abração.

P. Leandro O. Hofstätter
Par. Apóstolos
 


Autor(a): leandro o. hofstätter
Âmbito: IECLB / Organismo: Comunidade Evangélica de Joinville - CEJ
Natureza da memória: Testemunhas - pessoas
Natureza do Texto: Artigo
ID: 6838
Ainda não somos o que devemos ser, mas em tal seremos transformados. Nem tudo já aconteceu e nem tudo já foi feito, mas está em andamento. A vida cristã não é o fim, mas o caminho. Ainda nem tudo está luzindo e brilhando, mas tudo está melhorando.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br